LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

sábado, 4 de março de 2017

Caminhões estão há mais de três semanas atolados na BR-163



O Exército vai enviar mantimentos para os caminhoneiros que estão parados na BR-163

Caminhões estão há mais de três semanas atolados na BR-163
Caminhões estão atolados há mais de três semanas no Pará. Os caminhoneiros parados na BR-163 vão começar a receber mantimentos enviados pelo Exército. Parte da rodovia foi liberada, mas a situação está longe de ser normalizada.
O Exército e a Defesa Civil vão começar a distribuir nesta sexta-feira (3) os mantimentos para os caminhoneiros presos na estrada há três semanas. Equipes do DNIT continuam trabalhando na BR-163 para liberar a pista.

O trânsito foi liberado em direção ao Mato Grosso, mas os caminhões passam lentamente pela via. A prioridade é para caminhoneiros que já descarregaram a mercadoria. Os motoristas que não conseguem sair do lugar reclamam da situação. A fila é gigante para motoristas que seguem para os portos de Miritituba e Santarém.

A BR-163 é estratégica para o agronegócio. É pela rodovia que chega aos portos do Pará o maior volume de grãos produzido no Mato Grosso. Exportadores de óleo e cereais dizem que estão tendo um prejuízo de R$ 1,2 milhão por dia por causa da estrada ruim. Só a diária de um navio ancorado à espera do embarque da mercadoria custa US$ 50 mil, o equivalente a R$ 150 mil.

Em Brasília, o ministro dos Transportes Maurício Quintella falou que as obras na rodovia não atrasaram por falta de dinheiro. O problema teria sido a chuva que castiga a região.
 
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário