LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88] 9 8801 1777

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Delegacia de Defraudações fecha fábrica e lojas que vendiam fardas e outros artigos da Polícia livremente em Fortaleza, de forma ilegal

Artigos militares 100
Artigos de fardamento das polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal eram vendidos livremente
Uma operação deflagrada nesta quinta-feira (9) por policiais da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), sob o comando do delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, fechou uma fábrica e três lojas em Fortaleza, que produziam e comercializavam artigos militares de uso restrito. Fardamentos e acessórios da PM eram vendidos livremente nos locais onde os inspetores fizeram a apreensão de vasta quantidade de produtos.
Segundo o delegado,  a operação começou com o fechamento de uma fábrica localizada no quilômetro 5 da BR-116, no bairro Cajazeiras, onde uma fábrica produzia artigos militares, como camisetas, bonés, fardas e outros produtos do gênero, sem que houvesse uma autorização oficial para isto. O dono da fábrica, identificado como Fernando Antônio Lessa Leitão, 54 anos, foi preso em flagrante por crime contra a fé pública.
Lojas
A operação continuou com o fechamento de duas lojas localizadas na Rua Antônio Pompeu, no Centro de Fortaleza. Os produtos também eram vendidos sem nenhuma autorização ou controle. Foram presos os comerciantes Oscivalkee de Sousa Rodrigues, 36 anos; e Fernando José Bezerra Júnior, 40.
Por último, os inspetores foram até o bairro da Aldeota e fecharam a terceira loja do gênero, situada na Rua Pinto madeira, onde recolheram os produtos expostos à venda e realizaram a prisão, em flagrante, do comerciante Nelvo Antônio Parise, 60 anos.
Segundo a Polícia, todos os presos na operação não possuíam antecedentes criminais. Mas foram autuados com base no Crime Contra a Fé Pública e tiveram os produtos confiscad////blogdofernandoribeiro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário