LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88] 9 8801 1777

sábado, 4 de março de 2017

Número de cidades sem estrutura bancárias cresce no Brasil


Foto: Alex Rodrigues/ Agência Brasil O número de agências bancárias está reduzindo no Brasil, enquanto aumenta a quantidade de cidades do interior que não possuem atendimento presencial. Segundo informações do portal G1, com base em dados do Banco Central, mais de 100 cidades deixaram de ter qualquer dependência bancária nos últimos dois anos. Dos 5.588 mil municípios brasileiros, 352 não tinham acesso direto aos bancos no final de 2016, maior número desde 2010. A tendência vem crescendo desde 2013: em 2014, eram 241 cidades sem unidades bancárias; em 2015, eram 300. Em geral, as cidades sem acesso a estruturas bancárias tem menos de 5 mil habitantes e pouca circulação de dinheiro, restando lotéricas, os Correios, cooperativas de crédito ou outros estabelecimentos comerciais que atuam como correspondentes bancários. O fechamento de agências também foi motivado pela assaltos violentos ocorridos interior do país. Segundo levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), foram registradas ao menos 393 assaltos e tentativas de assaltos no Brasil em 2015 e 385 em 2014. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), somando todos os tipos de ocorrências, incluindo arrombamentos, o número de ataques foi maior que 3 mil. Os estados que tiveram a maior redução de cidades sem dependências bancárias foram Piauí, Paraíba e Rio Grande do Norte. Ao todo, 18 dos 27 estados possuem cidades sem qualquer tipo de dependência bancária – na Bahia, somente um dos municípios não tem estrutura bancária. O BC aponta que o número de agências caiu de 22.826 em 2015 para 22.547 no final do ano passado, uma redução de 279 unidades a menos. É o menor número desde 2012. O total de postos de atendimento bancário (PAB) e caixas eletrônicos também diminuiu, passando de 45,5 mil em 2015, para 43,7 mil em 2016. Servindo como alternativas, o número de correspondentes bancários também caiu – em 2016 eram 276,8 mil pontos, enquanto em 2015 eram 293,8 mil. As agências dos Correios com o Banco Postal (serviço oferecido em parceria com o Banco do Brasil),

Nenhum comentário:

Postar um comentário