LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

domingo, 5 de março de 2017

Idosa morre após ser picada por cerca de 500 abelhas em Presidente Olegário/MG

Uma idosa de 84 anos morreu depois de ser picada por um enxame de abelhas, na tarde desta quinta-feira (2), em Presidente Olegário, no Noroeste de Minas Gerais. Ela foi socorrida, mas segundo a filha, não resistiu aos ferimentos e faleceu na manhã desta sexta-feira (3).

O fato foi registrado no Bairro Saltador. Uma pessoa que passava pelo local viu a vítima sendo atacada e acionou a emergência do Hospital Municipal. Segundo testemunhas, o incidente ocorreu próximo a um lago, local onde ela tem costume de pegar lenha.
O hospital informou que a ambulância foi acionada e os técnicos de enfermagem que a socorreram atearam fogo a um lençol para poder espantar as abelhas com o calor e fumaça. A idosa foi encaminhada para o atendimento de emergência do hospital, chegou inconsciente, porém o quadro foi estabilizado. De acordo com o médico plantonista, foram cerca de 500 picadas.
Na noite desta quinta-feira (2), ela foi transferida para o Hospital Regional de Patos de Minas, onde seguia estável. Contudo, familiares confirmaram que a idosa não resistiu aos ferimentos e morreu. O G1 ligou para a unidade para confirmar a causa da morte, mas não foi informada.
Após o fato, o biólogo Helder Canto Resende deu dicas de como agir em situações como esta. Segundo o professor especialista em abelhas, os animais são da espécie Apis mellifera, popularmente conhecida como abelha-europeia, por terem sido trazidas da Europa e da África para produzir cera, velas e mel.
“Como agora as abelhas estão adaptadas ao país, ficou muito inclusive na área urbana e é preciso tomar cuidado ao encontrar uma colmeia. É importante destacar que elas não atacam, elas se defendem, ou seja, só vai haver um acidente com ferroadas se a pessoa chegar perto”, explicou.
O especialista ainda deu dicas para evitar acidentes com abelhas. "Como elas são defensivas, nunca chegar perto de uma colmeia sem estar protegido; nunca matar a abelha, pois quando morrem elas liberam feromônios, um cheiro natural, que vai atrair outras abelhas", disse.
Helder Canto falou ainda que, ao receber a ferroada, não retirar o ferrão com a mão, pois pode apertar a bolsa de veneno que fica presa ao ferrão e liberar mais da substância. O indicado é que o ferrão seja “raspado” por uma lâmina. E por fim, passar uma pomada própria ou procurar imediatamente um posto de saúde caso a pessoa tenha alergia.


Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário