LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Baleia Azul: Boatos se espalham na internet e criam pânico na população




A suposta internação de uma criança com suspeita de envenenamento na cidade de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, gerou uma verdadeira onda de boatos nas redes sociais nesta última quarta-feira (19).

Várias pessoas começaram a compartilhar, via WhatsApp e Facebook, que uma criança de oito anos teria ganhado um doce envenenado em uma escola da cidade e que o fato teria ligação com o jogo da Baleia Azul, que estimula a automutilação e o suicídio.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Almirante Tamandaré enviou uma nota informando que “não deu entrada no Pronto Socorro 24 Horas qualquer criança com sintomas de envenenamento, nem mutilação. Também não houve qualquer paciente até este momento com características de ter sido 'desafiado' no (jogo) Baleia Azul, nem com ferimentos por arma cortante ou lesão”, diz o texto.

Boatos criam pânico

Desde o início da semana estão circulando várias mensagens sobre supostos adolescentes que estariam participando do jogo e que teriam que cumprir o desafio de dar balas envenenadas para 30 crianças de uma escola. As mensagens usam o mesmo texto, mas nomes e cidades diferentes, acompanhadas sempre da foto de um adolescente com cortes pelo corpo (veja exemplos na galeria de imagens acima).

De acordo com o delegado Demétrius Gonzaga de Oliveira, do Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) de Curitiba, o problema desses compartilhamentos é que só servem para criar pânico entre os pais.

“Surgiu uma morte suspeita no Brasil, que ainda está sendo investigada e que pode ou não ter ligação com o jogo. A partir daí está surgindo uma verdadeira boataria que só serve pra criar pânico na população”, esclarece o delegado.

O conselho do delegado é que as pessoas não compartilhem esse tipo de conteúdo que chega por redes sociais sem nenhum tipo de respaldo e confirmação. “Compartilhar esse tipo de conteúdo só piora o problema. Isso atrapalha o trabalho da polícia e, pior, pode acabar dando ideia e estimulando jovens a procurar pelo suicídio”, observa.

A orientação do agente é que os pais que souberem que o filho recebeu um convite para participar do jogo procurem a delegacia da Polícia Civil mais próxima e apresentem esse convite.
 
Fonte R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário