LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

sábado, 6 de maio de 2017

Ceará já tem mais de 10 mil casos confirmados de febre chikungunya, aponta boletim da Sesa


DENGUE
Durante o ano de 2017 já foram notificados 33.371 casos suspeitos de febre chikungunya no Ceará. Destes, 10.592 foram confirmados, conforme boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (5),pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). O índice de confirmações da doença é 31% maior do que os informados no dia 28 de abril, quando 8.037 pessoas haviam sido diagnosticadas.


Do total de casos confirmados, 66,5% concentram-se nas faixas etárias entre 20 e 59 anos de idade, com predominância de contaminação do sexo feminino. Até o momento, uma pessoa morreu por conta da doença. O óbito da paciente ocorreu em Fortaleza, no mês de janeiro.

Dengue

A dengue, por sua vez, teve confirmados 6.105 ocorrências, com 40 casos de dengue com sinais de alarme e cinco de dengue grave. Três pessoas morreram pela doença, nos municípios de Fortaleza, Maracanaú e Tabuleiro do Norte. No boletim anterior, a Sesa contabilizava 4.988 casos confirmados.

A taxa de incidência da enfermidade no Ceará já chega a 322,5 casos por 100 mil habitantes, distribuídos em 172 municípios cearenses, o que corresponde a 93,4% do total de localidades do estado.

Zika

No que diz respeito à infecção por zika, 1.050 casos suspeitos foram registrados, sendo 120 confirmados. Doze gestantes foram confirmadas como infectadas pelo vírus.

O Ministério da Saúde atualizou as definições do que seriam os casos de síndrome congênita associada à infecção pelo vírus zika. Agora os grupos de notificação passam a ser de recém-nascido com até 48 horas de vidam recém-nascido ou criança após as primeiras 48 horas de vida, condições identificadas durante o pré-natal, aborto espontâneo até a 22ª semana de gestação, óbito fetal ou natimorto e óbito neonatal precoce. Dessa forma, os casos agora poderão ser encerrados também como "prováveis" ou "inconclusivos". 



Fonte Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário