LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

sábado, 6 de maio de 2017

Soldado da Policia Militar é assassinado com tiro na nuca em Fortaleza



               post-feature-image

Um soldado da Polícia Militar foi assassinado a tiros na manhã deste sábado (6), no Bairro Jardim Iracema, em Fortaleza. Segundo a polícia, o policial estava próximo a sua residência na Rua Guilherme Mendes quando foi rendido por dois homens. A polícia informou que ele tentou fugir, mas foi atingido na nuca. Após os disparos a dupla fugiu em uma moto.

De acordo com a polícia, o policial chegou a ser socorrido pela esposa, mas não resistiu e morreu em um hospital. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

2º caso em menos de uma semana

Com a morte do soldado da PM neste sábado, sobe para oito o número de policiais assassinados em 2017. O último caso aconteceu na quarta-feira (3), no Bairro Ellery, na capital. Outro soldado da Polícia Militar foi baleado durante um assalto. De acordo com a polícia, a vítima foi atingida por um disparo na região do abdômen e não resistiu.

Segundo o comandante de policiamento da capital, coronel Francisco Souto, o policial Francisco Gledson Matias, 37 anos, foi abordado na rua de sua casa por um criminoso armado. O homem se aproximou em uma moto e anunciou o assalto. O comandante informou que ainda não se sabe se o policial militar reagiu ao roubo. Não houve troca de tiros.

O homem atirou contra o PM e o atingiu na barriga. O soldado chegou a ser levado por familiares ao Hospital Distrital Doutor Evandro Ayres de Moura (Frotinha do Antônio Bezerra), mas não resistiu ao ferimento e morreu no local. Após o crime, o homem fugiu sem ser identificado.
Créditos: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário