LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

terça-feira, 9 de maio de 2017

Cerco ao PCC se fecha em Fortaleza e mais três membros da facção são presos com armamento

Carioca 8 - PRF
Os criminosos foram interceptados com as armas da facção pela PRF em Maracanaú
Carioca 6 - PRF
Um fuzil, duas pistolas e dois revólvers, além de muita munição estavam em poder dos bandidos
Mais três integrantes do PCC, que havia escapado do cerco policial durante a madrugada desta terça-feira, no bairro Quintino Cunha, na zona Oeste da Capital,foram presos agora há pouco por policiais rodoviários federais. Com eles foram apreendidas mais quatro armas de fogo, entre elas, um segundo fuzil e duas pistolas, além de muita munição.  Até agora, já são oito detidos e muitas armas e munição apreendidos.
Os suspeitos fazem parte da facção paulista  PCC e o grupo planejava resgatar da casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Jucá Neto, a CPPL 3, os chefes locais  do bando. O resgate iria ocorrer nas próximas horas, por ordem direta do líder da facção, Marcos Herbas Camacho, o “Marcola”. A ação criminosa seria comandada pelo assaltante Antônio Carlos Barbosa, o “Carioca”, que acabou preso com quatro comparsas num cerco do Comando Tático Motorizado (Cotam).
Depois da fuga durante o cerco no bairro Quintino Cunha, o resto da quadrilha tentava sair de Fortaleza, mas foi perseguido por policiais rodoviários federais no Anel Viário e interceptado em um veículo Palio branco, no entroncamento com a CE-060, nas proximidades da Central de Abastecimento do Ceará (Ceasa), no Município de Maracanaú, na RMF.
Ameaça do PCC
A trama para o resgate dos líderes locais do PCC foi arquitetado a partir do momento em que a facção sabia que todos os seus membros estavam todos reunidos em uma só cadeia, a CPPL 3, como foi exigido pelos criminosos e atendido pelo governo do Ceará.
Com os chefões em um lugar só, o plano para o resgate foi facilitado. Os criminosos iriam atacar por diversos flancos do presídio, anulando a capacidade de reação da guarda externa. Ao menos, 20 criminosos estariam prontos, com armas de grosso calibre, para executar a empreitada.
Os três presos pela PRF em Maracanaú foram encaminhados à sede da Polícia Federal.
FONTE: blogdofernandoribeiro.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário