LEIA COM ATENÇÃO

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Prédio residencial de 7 andares desaba em Fortaleza



Um prédio residencial, identificado como Condomínio Andrea, localizado na rua Tibúrcio Cavalcante, nº 2405, bairro Dionísio Torres, desabou na manhã desta terça-feira (15), em Fortaleza, no Ceará. O edifício de sete andares fica na esquina da rua Tomás Acioli e estava habitado. 
Um prédio vizinho ficou com muro avariado. Carros que estavam na rua ficaram cobertos de areia. A região está com trânsito interrompido. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma pessoa morreu no acidente. Outro morador foi resgatado com vida e levado a uma unidade hospitalar.
O desabamento foi por volta das 10h30min. Algumas residências da área ficaram sem energia elétrica, conforme moradores. Familiares de moradores estão no local aguardando informações oficiais. Movimentação de populares é intensa na área.
Três guarnições do Corpo de Bombeiros estão no local, além de quatro viaturas da Polícia e quatro agentes da Defesa Civil. As equipes policiais isolam a área, organizando previamente ação de resgate.
O Corpo de Bombeiros trabalha com hipótese de vazamento de gás no local.
Ambulâncias e socorristas estão no local. Helicóptero do Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) tenta pousar para resgatar vítimas gravemente feridas. 
Conforme policiais militares, há vítimas conscientes nos escombros do prédio, inclusive se comunicando com socorristas.
A prefeitura da capital cearense informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que uma equipe da Defesa Civil do município, está também no local, mas ainda não tinha informações sobre vítimas ou se o imóvel estava vazio. No entanto, informações não oficiais dão conta que o porteiro do prédio conseguiu escapar.
De acordo com a jornalista Rebecca Fontes, alguns dos moradores ouviram uma explosão. Bombeiros afastaram todo mundo. "Dizem que estão ouvindo gritos. Um senhor, que está sob os escombros, ligou para a família", escreveu ela, no Facebook.
Dona de um estabelecimento comercial que funciona a cerca de 100 metros do local onde o prédio desabou, Andrea Barbosa de Sousa disse à Agência Brasil que o edifício era residencial e estava ocupado.
“Só escutei um barulho muito grande. Foi tipo uma explosão. Eu saí correndo quando vi a nuvem de poeira chegando até aqui, na loja. Saí na calçada e não vi quase nada, só algumas pessoas correndo em meio à nuvem de poeira”. afirmou a comerciante ao retornar para fechar a loja que havia abandonado e deixado aberta. “Os bombeiros estão interditando a rua, pedindo para os vizinhos saírem de casa e atendendo a algumas pessoas”, acrescentou Andrea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário