LEIA COM ATENÇÃO

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Lavrador teria usado garrafa com veneno para comprar bebida; pai e filho morreram


A Polícia Civil de Cocal, Norte do Piauí, suspeita que o lavrador Domingos Francisco de Araújo, 62 anos, usou uma garrafa usada para armazenar veneno para comprar bebida alcoólica. Ele e o filho, José Jhones Gomes Araújo, 24 anos, consumiram a bebida e morreram momentos depois de ingerir o líquido. A Polícia Civil agora aguarda laudo para identificar o tipo do veneno.

O agente de Polícia Civil Walter Brune informou ao G1 que a principal suspeita é de que o lavrador utilizasse as garrafas para armazenar algum tipo de veneno. O filho, após a morte do pai, teria consumido a bebida também.

“É muito provável que tenha sido algum tipo de imprudência da parte dele [pai], de ter comprado a cachaça na garrafa que tinha veneno. O filho, depois da morte do pai, foi informado que ele havia morrido depois de consumir a bebida e quis provar também, morrendo logo depois”, informou.

A polícia também aguarda o laudo cadavérico de pai e filho, mas a causa da morte por envenenamento é “praticamente confirmada”.

“Se confirmado que era veneno e qual o tipo, por exemplo, algum agrotóxico ou veneno para formiga, vamos investigar se foi o mesmo tipo consumido por eles e se alguém nas redondezas vendeu algum produto assim para ele recentemente, para entender como essa contaminação pode ter acontecido”, explicou.

Uma espécie de pó branco que foi encontrado na casa, também foi recolhido e será periciado, mas Walter Brune informou que não há suspeita de que seja algum material químico perigoso.

Segundo o policial civil, ainda não há prazo para o resultado dos laudos.

Com informações G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário