LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

CEARÁ - Disputa de facções provocam três rebeliões em 24 horas



O POVO teve acesso a imagens de incêndio provocado por detentas no Auri Moura Costa LEITOR VIA WHATSAPP
Imagens de incêndio provocado por detentas no Auri Moura Costa

Pelo menos três rebeliões foram registradas em menos de 24 horas na Região Metropolitana de Fortaleza. A motivação apontada para todas elas é disputa entre facções criminosas nas unidades prisionais. Houve fugas, feridos e três pessoas morreram.
Na Cadeia Pública de São Gonçalo do Amarante, três detentos morreram, dois ficaram feridos e cinco fugiram. No Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, em Aquiraz, duas detentas ficaram feridas.
Houve distúrbios também na Cadeia Pública de Maranguape, mas sem registro de mortos e feridos, segundo a Polícia.
As rebeliões na cadeia de São Gonçalo e no Auri Moura Costa aconteceram na manhã de ontem. Na unidade prisional feminina, as detentas entraram em conflito e houve princípio de motim, conforme a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus). A Polícia Militar e o Grupo de Ações Penitenciárias (GAP) foram acionados e controlaram a rebelião. Parte da unidade foi depredada.
De acordo com o Conselho Penitenciário (Copen), a confusão começou porque duas facções criminosas não querem continuar a dividir espaço na penitenciária. Detentas de uma das facções querem ser encaminhadas ao Instituto Penal Professor Olavo Oliveira (IPPOO) II, junto de homens da mesma organização.
A intenção delas é que o Auri Moura Costa passe a concentrar detentas de uma só organização criminosa ou que as unidades abriguem homens e mulheres das mesmas organizações. Segundo a Sejus, as duas internas feridas receberam atendimento no próprio presídio.
Em São Gonçalo do Amarante, o tumulto começou por volta das 8 horas. Conforme a Sejus, os detentos estavam no banho de sol quando renderam um agente penitenciário e o trancaram na sala da direção. Ainda de acordo com a secretaria, os mesmos internos invadiram outra cela e mataram três presos. As vítimas são Estefferson de Lima Moura de Sousa, Francisco Diego da Conceição e Márcio Cleiton da Silva Ricardo Filho. Outros dois detentos ficaram feridos e foram levados ao Instituto Doutor José Frota (IJF), na Capital. Outros cinco fugiram.
A ocorrência em São Gonçalo do Amarante também estaria relacionada a disputa por território de unidade prisional entre facções.
Maranguape - Na noite de ontem, uma terceira rebelião foi registrada na cadeia de Maranguape. Detentos da organização mais numerosa no local não aceitavam a presença de integrantes de facção rival e ameaçavam quebrar as grades e matar os adversários. O Batalhão de Choque (BPChoque) e o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foram acionados. Agente penitenciário que pediu para não ser identificado informou que cinco líderes de organizações seriam transferidos.

Tentativa de resgate - As rebeliões em série aconteceram dois dias após tentativa de resgate na Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba, Região Metropolitana de Fortaleza. Os presos cuja fuga era planejada eram Antônio Jussivan Alves dos Santos, o Alemão, 50, Antônio Carlito Avelino, 50, conhecido como Boi, e Paulo Laércio Pereira de Freitas, 36, o Paulo Cabecinha. Na ação, houve confronto com a Polícia, que impediu o resgate. Alemão e Boi foram baleados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário